INFORMAÇÕES:

* Visite o nosso site em: www.folheto.pt

segunda-feira, março 13, 2006




“O Amanhã” de Constança Aguilar e Rafael Barroca


“O Amanhã tarda em chegar” é o nome do livro de Carla Martins sob o pseudónimo de Constança Aguilar com fotografias de Rafael Barroca pertencente à colecção “25 poemas” da editora leiriense Folheto Edições e Design.
Após o sucesso das apresentações em Tomar e no Porto, este livro terá nova apresentação, desta vez na Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira, Leiria, no próximo dia 18 de Março, pelas 16 horas.
A apresentação do livro será da responsabilidade de Adélio Amaro e contará ainda com a presença de A. Sá Pessoa, Arménio Vasconcelos, José Carlos Lopes e Soares Duarte que declamarão alguns poemas da autoria de Constança Aguilar.

Acerca deste livro José Travaços Santos refere que esta obra “trouxe-nos o encanto muito particular duma singular sensibilidade poética, expressa em palavras ordenadas e dispostas com elegância e musicalidade”, acrescenta ainda que “há beleza, profundidade e qualidade” nos versos da autora.
José Manuel Silva, refere que “estes poemas são grito, força, alma, corpo de mulher… estes poemas são um princípio”.
O autor do Proémio deste livro, Arménio Vasconcelos, revela que “os poemas são adoçados e amaciados como se tratasse de uma escultora”, refere ainda que “possuindo uma cultura rica de humanismo, projecta a autora uma personalidade de inteireza nas páginas que nos são oferecidas”. No que diz respeito à ilustração da obra poética, Arménio Vasconcelos remata que “as fotos que ilustram os poemas do presente livro, são outros tantos poemas”.

Carla Martins é natural de Moçambique, tendo-se interessado desde criança pela literatura. Depois da Escola Primária e secundária em Tomar, envereda pela gestão de empresas tendo concluído a sua licenciatura no Instituto Superior de Línguas e Administração - ISLA de Leiria. Profissionalmente exerce funções de gestora e é Técnica Oficial de Contas desde 1997. Assumindo o compromisso de nunca se desligar do mundo artístico, participa como contadora de histórias em festas e encontros com alunos das escolas, e em saraus como declamadora de poesia.






















Rafael Barroca é natural da Nazaré e desde sempre desejou dedicar o seu tempo à arte de fotografar. A partir de 2000 a Arte revela-se na sua vida com a escultura e o teatro, mas foi a fotografia que sempre se destacou pela sua emotividade. Conta com várias participações em concursos fotográficos para revistas e instituições resultando em exposições diversas. Na área da escultura destacam-se os 1.º e 2.º lugares de artes plásticas num concurso organizado pelo S.D.P.J. de Leiria. Efectuou ainda alguns troféus para festivais e galas dos mais diversos fins.

1 comentário:

asn disse...

Notas:
* Não conheço a autora. Infelizmente não vou poder estar presente no lançamento deste livro, que sei estar a ser muito elogiado por pessoas de reconhecida competência. No mesmo dia estarei em Viseu, o meu pai faz hoje 83 anos, não há que exitar na opção, forçosa, até porque não possuo o dom da umbicuidade. Além disso não tenho como não reagir também sentimentalmente. É que a minha filha Inês, nasceu em Nampula-Moçambique, em 1969, estava eu a cumprir o serviço militar obrigatório. A conta do parto: 117$00, como consta da factura do Hospital de Nampula.
(* Vejam-se algumas das suas fotografias do Rafael Barroca no site http://leiria.no.sapo.pt). Conto publicar mais das suas fotos, com a sua concordância, claro está, no mesmo site, em breve.
ASN